anuncie aqui

CBF promove Final do Brasileirão Feminino

Na sede da CBF, capitãs e técnicos de Avaí-Kindermann e Corinthians participaram de evento para promover a grande decisão do Brasileiro Feminino A-1.

Por Redação em 21/11/2020 às 06:33:12
Media Day - Final do Campeonato Brasileiro Feminino A-1 2020 Créditos: Mariana Sá / CBF

Media Day - Final do Campeonato Brasileiro Feminino A-1 2020 Créditos: Mariana Sá / CBF

Um grande evento para uma grande final. Nesta sexta-feira (20), a CBF promoveu, pela primeira vez, o Media Day da Final do Brasileirão Feminino A-1. Na sede da entidade, no Rio de Janeiro, as capitãs e os técnicos de Avaí-Kindermann e Corinthians atenderam à imprensa para divulgar o início desta decisão.

Representando o Timão, compareceram ao evento a atacante Tamires e o técnico Arthur Elias. Já o clube catarinense foi representado por Jorge Barcellos e pela meio-campista Tuani. O media day foi conduzido por Alê Xavier, apresentadora do canal Desimpedidos. No auditório da CBF, ela leu algumas das perguntas enviadas por jornalistas de todo o país.

Avaí-Kindermann e Corinthians abrem a final do Brasileirão Feminino A-1 neste domingo (22), às 20h, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC). A partida terá transmissão de Band, ESPN e na página oficial do Brasileiro Feminino no Twitter (@BRFeminino).

Na abertura do evento, o Presidente da CBF, Rogério Caboclo, destacou a importância de promover cada vez mais o futebol feminino.

"É um dia muito especial para mim, estar aqui para anunciar e promover a grande final do Campeonato Brasileiro da A-1 2020, entre duas grandes equipes, o Corinthians e o Avaí, tenho certeza que serão duas grandes partidas", afirmou o Presidente, que continuou. "Para mim, falar de futebol feminino, é falar de prazer, de paz, de amor e de inspiração. É um pouco daquilo que a gente tem a dizer aqui hoje. Queria reafirmar o meu compromisso com o futebol feminino. Nós melhoramos muito no estágio que temos com o futebol feminino, mas ainda falta fazer muita coisa", concluiu.

A expectativa de uma grande final foi acompanhada pelos técnicos. Comandante do Corinthians, dono da melhor campanha do Brasileirão Feminino e em sua quarta final consecutiva, Arthur Elias pregou respeito ao Avaí e ressaltou que esse retrospecto não entrará em campo na final.

"O frio na barriga, na hora que eu perder, é melhor parar. Mas é a quarta final consecutiva, a gente sabe da dificuldade que vai enfrentar do outro lado, é uma equipe muito tradicional, com um treinador experiente, grandes jogadoras", ponderou Arthur.

A declaração de Arthur Elias teve contraste na resposta seguinte, dada por Tuani. A capitã das Leoas Caçadoras não titubeou em dar o favoritismo ao Corinthians, mas garantiu que não falta confiança e qualidade ao Avaí-Kindermann para fazer frente ao Alvinegro.

"Elas são favoritas, a pressão é toda delas. Eu vejo mais como um adversário a ser batido, o nível do adversário é enorme. A gente sabe que tem potencial para bater de frente, como batemos de frente com várias equipes ao longo do campeonato", analisou.

Mais um avanço


O Diretor de Competições da CBF, Manoel Flores, fez um resgate do trabalho recente da entidade com o futebol feminino. Em 2019, foram criadas competições nacionais para as categorias de base.

"É motivo de muito orgulho a gente ter colocado na rua ano passado duas competições de base, o (Brasileiro) sub-18 e o sub-16. Era uma carência, uma demanda do futebol feminino. Tenho certeza que a Tamires e a Tuani, se tivessem a oportunidade de ter tido uma competição de base, teriam se desenvolvido ainda melhor. A CBF está fazendo seu papel para colocar as competições de pé", garantiu.

Coordenadora de Competições Femininas da CBF e ex-jogadora, Aline Pellegrino lembrou as dificuldades específicas da atual temporada e valorizou o esforço feito para que o futebol feminino evolua cada vez mais.

"Quero agradecer a todos os departamentos que fizeram isso acontecer. Por trás desse evento tem todo um time trabalhando para o futebol das mulheres. É um ano difícil, muitas pessoas acharam que o futebol feminino não teria a manutenção das competições e a gente consegue, nesta fase, trazer os grandes estádios, o árbitro de vídeo", pontuou Aline.

Patch especial


Durante o media day, a CBF ainda apresentou uma ação especial para a final do Brasileiro Feminino A-1. A entidade convidou a renomada artista visual Rafa Mon para criar um patch especial para a decisão. Conhecida por sua estética cheia de cores e vida, Rafa Mon criou um patch que mistura a identidade visual da competição com o seu estilo próprio.

"Eu fiquei muito emocionada, principalmente pela representatividade de estar ali falando por todas essas mulheres, que estão nesse esporte há um tempão. Fiquei muito emocionada e muito feliz de estar representando essas mulheres com a minha arte", declarou Rafa Mon.

Comentários

Whatshapp
Anuncie 728x90-p3