Grupo do Whatsapp

Hospitais de Manaus disponibilizam tablets para comunicação de pacientes com familiares

Os primeiros pacientes da capital amazonense chegaram, na tarde e na noite dessa sexta-feira (15), aos hospitais universitários de Teresina (HU-UFPI/Ebserh) e de São Luís (HU-UFMA/Ebserh)

Por Redação em 17/01/2021 às 11:00:28

"A mamãe ama muito vocês". A frase emocionada da dona Marilene Gonçalves foi dita com um sorriso no rosto ao filho por meio de uma videochamada. Ela é uma das pacientes com Covid-19 de Manaus (AM) transferida para a Rede Ebserh – o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA) –, e pôde ter um momento de alegria por meio da visita virtual.

Para diminuir os impactos emocionais causados nesses pacientes, pelo afastamento provisório de seus familiares ao serem transferidos para hospitais de outros estados do país, as unidades vinculadas à Rede Ebserh começaram a promover encontros virtuais utilizando tablets. Os primeiros pacientes da capital amazonense chegaram, na tarde e na noite dessa sexta-feira (15), aos hospitais universitários de Teresina (HU-UFPI/Ebserh) e de São Luís (HU-UFMA/Ebserh).

Esse tipo de iniciativa já vinha surtindo resultados positivos, ao ser implementada na Rede Ebserh. Psicólogos e terapeutas ocupacionais avaliaram, ao longo do combate à pandemia, que o contato do paciente com o familiar pode reduzir os níveis de estresse e fortalecê-lo nesse momento do adoecimento, além de contribuir para a manutenção de capacidades cognitivas relativas à sua biografia e a sua identidade pessoal.

De acordo com o gerente de Atenção à Saúde do HU-UFMA/Ebserh, Dyego Brito, foram disponibilizados 40 tablets com chip para as visitas virtuais. "Conseguimos elaborar essa estratégia em tempo recorde e já fizemos os primeiros contatos. Os pacientes já estão tendo interação com suas famílias de forma remota e, na mesma ocasião, o profissional de saúde informa o estado clínico para os familiares", explicou Brito.

Para que as visitas virtuais ocorram, são avaliados alguns aspectos relacionados aos participantes como: a capacidade do paciente para a comunicação, seu estado psíquico e emocional, como também o próprio desejo em realizar o encontro virtual. A equipe também está atenta em manter a higienização dos equipamentos para evitar contaminações.

Além das duas unidades que já receberam pacientes, a infraestrutura necessária foi organizada com leitos exclusivos para executar a ação no Hospital Universitário Onofre Lopes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (HUOL-UFRN/Ebserh), em Natal (RN), no Hospital Universitário de Brasília da Universidade de Brasília (HUB-UnB/Ebserh), no Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (HULW-UFPB/Ebserh), em João Pessoas (PB), no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiânia (HC-UFG/Ebserh), no Hospital Universitário Walter Cantídio da Universidade Federal do Ceará (HUWC-UFC/Ebserh), em Fortaleza (CE), no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE/Ebserh), no Recife (PE) e no Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes da Universidade Federal de Alagoas (HUPAA-UFAL/Ebserh), em Maceió (AL).

Ações nacionais

No total, já foram liberados aproximadamente R$ 331,7 milhões para todos os hospitais vinculados para o enfrentamento da Covid-19. Os recursos foram destinados à realização de compras centralizadas de materiais médicos e adequações emergenciais de infraestrutura física, visando ampliação de leitos e espaços. Foram contratados mais de 4 mil profissionais em toda a Rede Ebserh por meio de processo seletivo emergencial e, apenas nos últimos dias, mais 700 aprovados foram convocados.

Sobre a Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas.

Devido a essa natureza educacional, a os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede de Hospitais Universitários Federais atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Paragrafo


Comunicar erro
Banner

Comentários

Whatshapp
Anuncie 728x90-p3